segunda-feira, 28 de abril de 2014

28 de Abril - Dia da Educação


segunda-feira, 21 de abril de 2014

Luiz Fernando desistiu do curso na Faculdade de Medicina, ele tem autismo e sofreu um trote brutal

Aos 22 anos, Luiz Fernando passou em um vestibular muito disputado. Órfão de pai, vive com a mãe e um irmão em uma cidade da periferia de Belo Horizonte. Ele tinha um sonho: “Queria fazer medicina porque eu tenho um irmão deficiente, queira ajudar ele a ter melhor condições de vida”, revela.
Entrou na respeitada Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior de São Paulo. “Vivi os piores momentos da minha vida. Com o tempo fui percebendo que o sonho virou terror na minha vida. Tudo foi só sofrimento”, conta Luiz Fernando.
Luiz Fernando tem autismo, um transtorno que dificulta o convívio social. No caso dele, a doença tem um grau leve. “Então, ele é um autismo de alto funcionamento. É um rapaz muito inteligente, mas tem prejuízos na linguagem”, explica a pedagoga Ozana Leal.
Além de expulsos da faculdade, veteranos que promovem trotes violentos podem ser presos e responder a crimes como injúria, que significa ofensa à dignidade da vítima, com pena mínima de um mês de cadeia; constrangimento ilegal, pena mínima três meses chegando a dois anos; e lesão corporal, também três meses de prisão, pelo menos.

sábado, 19 de abril de 2014

Entidade que atende autistas está desativada em Caxias do Sul, RS

Sabemos que o diagnóstico precoce com a intervenção direcionada, as crianças com autismo podem atingir uma vida autônoma e em alguns casos reverter o diagnóstico.
As famílias que lutam hoje pela AMA-Caxias não usufruirão da intervenção precoce para seus filhos, mesmo assim a luta é muito válida para mudar essa realidade de descaso.
Necessitamos de um centro de atendimento para autistas que os receba desde o diagnóstico precoce e os acompanhe nos casos que necessitar, por toda sua vida adulta.
AMA-Caxias:  ama.caxiasdosul@gmail.com


sexta-feira, 18 de abril de 2014

Conhecendo o Autismo

Meu filho tem autismo.
A maioria das pessoas o julgam incapaz de compreender o mundo. Essas pessoas não entendem que todo ser humano merece a oportunidade desenvolver o máximo que puder. Aliás, é uma vergonha a falta de investimento para receberem atendimento direcionado sabendo que muitos tratados precocemente podem atingir uma vida autônoma e até reverter o diagnóstico .
As pessoas não entendem que temos direito de ir à escola, mercado, eventos e morar em condomínios, olham e reclamam se entramos numa fila para pessoas com deficiência como se estivéssemos tirando vantagem. 
Diante da falta de incompreensão, somos excluídos porque podemos apresentar comportamento inadequado a qualquer momento, podemos descumprir regras sociais simples.
Algumas pessoas o julgam sem compreensão de mundo, apresentando inteira incompreensão diante dele.
O único remédio que meu filho usa para tratar o autismo, é a dedicação dos que o cerca. Carregamos um pouquinho de cada um que se propôs acrescentar e isso representa um valor inexplicável! Somos cercados de seres humanos de verdade e cada pouquinho é comemorado como uma grandiosa vitória! Há valor em cada ato, em cada passo, em cada conquista e principalmente em cada pessoa disposta a deixar um pouquinho de si e isso independe da idade... 
É possível sim fazermos um mundo melhor quando aceitamos e respeitamos as diferenças!