quinta-feira, 31 de julho de 2014

Discriminando e Classificando Cores


Esta atividade foi elaborada pela professora AEE Mara Rossatto com a finalidade de discriminar cores.
A professora selecionou alguns objetos que correspondesse a cor de fundo e outros que correspondesse apenas partes para o Ângelo discriminar e classificar.

video



Aplicativo Alfabeto3D utiliza realidade aumentada para ensinar e divertir

O aplicativo Alfabeto 3D tem uma proposta, no mínimo, interessante: ensinar o alfabeto de uma maneira mais divertida para as crianças.
Isso porque o app utiliza a tecnologia realidade aumentada e locução guiada para facilitar as coisas. Para isso, a equipe responsável pelo app criou um mundo virtual 3D e um personagem principal (o Lápis 3D) para interagir com as crianças e auxiliar no processo de aprendizagem do nosso alfabeto.
O projeto surgiu da vontade de aplicar a tecnologia de realidade aumentada na educação infantil. O personagem principal aparece em todas as animações, bem como as letras em suas formas maiúscula e minúscula. A interação acontece com algum objeto de fácil assimilação iniciado com respectiva letra; em seguida, aparece a palavra completa correspondente a esse objeto. Tudo isso, é claro, acompanhado de uma locução guiada.
Bacana, né? Lembrando, é claro, que para ter uma experiência completa (visualizar todas as animações do aplicativo), é imprescindível fazer o download e imprimir o marcador. Vale notar que o app é minimamente compatível com iPads de terceira geração.

Confira o vídeo-explicativo do app: 



Escola deve contratar professor para auxiliar aluno com deficiência intelectual

É obrigação do Estado atender crianças com necessidades especiais dentro da sala de aula, e isso inclui a contratação de um professor auxiliar. Com esse entendimento, a 3ª Câmara de Direito Público do TJ de Santa Catarina confirmou a obrigação do Estado em contratar outro professor para uma turma do ensino médio de escola pública. A decisão foi unânime.
A ação foi ajuizada pelo Ministério Público na comarca de Trombudo Central (SC) após parecer contrário da Fundação Catarinense de Educação Especial e, de outro lado, parecer favorável da Gerência Regional de Educação em relação ao pedido de contratação do profissional. 
O relator, desembargador substituto Stanley da Silva Braga observou que o Estado tomou providências apenas após o início da ação e intimado para cumprir a liminar. Por isso, diz, a sentença deve ser mantida. Em reexame necessário, a câmara apenas alterou o valor da multa diária em caso de descumprimento da decisão, de R$ 500 para R$ 50.
No processo, comprovou-se por documentos que a aluna apresenta sequela decorrente de meningite bacteriana, com quadro de epilepsia e sinais de deficiência intelectual. Diante dessas dificuldades, os médicos indicaram que ela frequentasse curso regular de ensino, em regime de inclusão com professor auxiliar. Essa opinião foi confirmada em avaliação psicopedagógica, que sugeriu a utilização de um método de equilíbrio para obtenção de sucesso no desempenho escolar. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SC.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Identificando as Formas Geométricas



Esta atividade foi confeccionada em casa para trabalhar as formas geométricas.
O objetivo consiste em identificar a sombra que corresponde a cada forma. Todas estão identificadas de forma escrita para a criança ir se familiarizando com o mundo da alfabetização.

Materiais utilizados:
- 1 pasta de papel de escritório;
- 1 folha colorida;
- 1 folha de EVA grossa;
- velcro autocolante;
- cola




Ângelo adora realizar estas atividades

video


Aprendendo as cores



Esta atividade foi confeccionada pela professora do AEE Mara Rossatto para trabalhar as cores.
O objetivo consiste em identificar e classificar de acordo com o rolinho que corresponde.

Materiais utilizados:
-Tampa de uma caixa de papelão;
- Rolos de papel higiênico;
- Papel colorido para encapar os rolos;
- Canudinhos com as mesmas cores utilizadas para cobrir os rolinhos.

O Ângelo amou a atividade!

video


sexta-feira, 25 de julho de 2014

Dica de leitura com as crianças sobre as diferenças

Segue uma sugestão para trabalhar as diferenças com as crianças: " Uma Joaninha Diferente e A Joaninha Diferente". Ambas são joaninhas que nasceram diferentes das demais porque não possuem bolinhas. Elas enfrentam rejeição e discriminação, mas encontram uma linda forma de superar todas as dificuldades. A Joaninha Diferente, com sua bravura, ao invés de bolinhas, cobriu seu corpo de medalhas e Uma joaninha Diferente conseguiu provar para todos que não eram as bolinhas que faziam dela uma verdadeira ou falsa joaninha.


Arte Cooperada

Esta atividade tem o objetivo de proporcionar a socialização, interação e a aprendizagem referente às cores primárias e secundárias através de uma técnica de pintura realizada com a cooperação do colega e exploração das misturas  das cores através do movimento em que ambos realizam com a tampa para que as bolinhas de gude se movam.

Será utilizado:
- Tampa de caixa de papelão
- Tinta têmpera (cores primárias) 
- Bolinhas de gude

Através da manipulação de material realizada em dupla utilizando as cores primárias, os componentes precisam manipular o material de forma cooperada para que a arte aconteça e as cores se misturem com o correr das bolinhas de gude.

Assim, podemos trabalhar:
1. Proporcionar interação e socialização;
2. Estimular a criatividade;
3. Trabalhar de forma cooperada;
4. Respeitar individualidades dos colegas;
5. Aprender a posicionar-se diante do outro;
6. Reconhecer as cores primárias;
7. Reconhecer as cores secundárias e como elas ocorrem;
8. Identificar as cores existentes no mundo

Documentário sobre Autismo




Está disponível na netflix  "Sounding the Alarm - Batting Autism Epidemic" um documentário de 2014 feito a partir de relatos de famílias que vivem o autismo, tratando o tema como um alarme a uma epidemia da síndrome.


Assista o trailer


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Atividade no Espelho

O espelho é muito importante para a criança reconhecer-se como indivíduo único (sua imagem) e diferente dos demais.
Por um longo período, utilizei este recurso para estimular meu filho (TEA). Nossa preferência sempre foi  realizar atividades diante do espelho, pois além do auto-reconhecimento (reflexo), o oportunizava visualizar-se concretizando as atividades. Era através do espelho que mantínhamos o maior número de contato visual.
Em 2010, escrevi um texto sobre estimular a criança diante do espelho. Mas neste caso, o espelho torna-se parte do material didático para montar quebra-cabeça, palavras e instigar a criança na criação de desenhos.

DESENHOS COM SPRAY DE ESPUMA:
Além de ser uma atividade sensorial, é possível explorar a criatividade desenhando imagens, letras e números.  Podemos instigar a criança em passar o dedo por cima, percebendo que seu dedo também modifica a imagem. Também é possível fixar letras/números/imagens grandes em EVA e ajudar a criança (se ela precisar) contornar utilizando o spray.


QUEBRA-CABEÇA EM EVA:
Podemos confeccionar as imagens em EVA de acordo com interesse e grau de dificuldade que a criança apresenta e necessita ser trabalhada, fixando-as no espelho utilizando gel de cabelo. Além de ser uma atividade sensorial, podemos trabalhar conceitos de partes e inteiro, montar palavras e até mesmo frases, organizar o alfabeto e os números, além de montar e resolver cálculos.


DESENHOS COM TINTA:
É possível explorar a criatividade, aprender as cores e suas misturas, utilizando o dedo ou o pincel no espelho, para que a criança posso perceber que sua ação modifica sua obra e sinta-se motivada a criar. Sabemos que algumas pessoas com autismo enfrenta prejuízos no uso da imaginação, podendo adaptar a atividade com os desenhos em EVA para criança contornar até desenvolver sua independência para desenhar.



Quando ele disse " mamã" ...

Nunca deixei de acreditar no meu filho. Nem mesmo nas épocas difíceis, quando ouvia só negativas sobre seu prognóstico.
Às vezes sonhava que o ouvia falar e ficava o desejo em não querer acordar para ouvi-lo um pouquinho mais...
Levaram-se 8 anos... Ou melhor, o tempo que levou não importa e sim que um dia, enquanto brincávamos na gangorra o ouvi falar "mamã" . Foi como ouvir a melodia mais linda de todos os tempos...
Por isso, devemos sempre ser os primeiros a acreditar no potencial das nossas crianças: pais, professores e terapeutas.

video

segunda-feira, 21 de julho de 2014

" Cordas" o melhor filme de animação















Cordas, ganhou o Prémio Goya 2014, na categoria de Melhor Curta Metragem de Animação espanhol.

É a história de uma menina doce que vive num orfanato, e que criou uma ligação muito especial com um novo colega de classe que sofre de paralisia cerebral. 10 minutos de pura emoção! Que seja o filme mais visto pelos nossos filhos.  

Lâmpada que troca de cor


Em ambiente de pouca luz, no teto ou no abajur, a diversão é garantida com a lâmpada que troca de cor automaticamente ou utilizando as funções do controle remoto.
Esta experiência desperta a curiosidade e estimula a aprendizagem das cores.
Podemos explorar de várias formas, de acordo com as características particulares da criança que será trabalhada, desde a oportunidade dela mesma selecionar a cor que iluminará o ambiente até a associações com objetos ou cartões que correspondem a cor solicitada.
Por utilizar a tecnologia LED ela tem um baixo consumo de energia e não "queima" como lampadas normais. Possui as opções de troca automática de cores (por tempo) ou elas podem ser trocadas acionando o botão correspondente a cor no controle remoto.

domingo, 20 de julho de 2014

20 de Julho - Dia do Amigo!


sábado, 19 de julho de 2014

Cobrador monta biblioteca dentro de ônibus e empresta livros para passageiros

O interesse pela leitura do cobrador de ônibus Antônio da Conceição Ferreira, de 42 anos, começou em sua cidade natal Santa Luzia do Tide, no Maranhão. Desde pequeno, gostava de ler os jornais e folhetos que o pai levava para casa como embrulho de objetos. Morador de Sobradinho II (DF), há 11 anos ele transformou o gosto pela literatura no projeto Cultura no Ônibus, que empresta livros para passageiros da linha em que trabalha.
—Dentro do ônibus não há atrativos para os passageiros, então vejo o livro forma de distração e de adquirir cultura.
Ele diz que começou o projeto com uma caixa de papelão em que guardava os livros no ônibus, assim que ele começou a trabalhar na linha circular de Sobradinho II e Plano Piloto em 2003. Hoje, o cobrador monta uma estante com cerca de 15 livros assim que começa o expediente no coletivo.
No começo, Antônio anotava o nome e dados dos passageiros que pegavam os livros emprestados. Agora ele diz que não se importa mais com a devolução dos volumes.
— Hoje é livre, os leitores podem ficar totalmente à vontade para pegar os livros. A ideia é que os livros passem de mão em mão. Mas o passageiro de todos os dias sempre devolve.
Antonio sonha em ampliar o projeto para todos os ônibus do DF.
— Aí quem pegar o livro em um coletivo em Ceilândia, poderá devolver em outro ônibus no Guará. Vejo o coletivo como uma grande biblioteca.
Entre os volumes mais procurados, segundo o cobrador, estão os livros de contos, crônicas, romances e autoajuda. O acervo do cobrador é formado por doações de passageiros e de internautas que acessam o blog do projeto. Em casa ele já reúne um acervo com cerca de oito mil títulos, entre livros, revistas e cordéis.
Estudante do segundo ano do Ensino Médio, o maranhense diz que já tinha lido vários autores, mas o primeiro livro que teve prazer de ler foi o romance Capitães de Areia, de Jorge Amado.
— Nenhum outro havia me feito sorrir. A literatura dele é bem distrativa.
Além do autor baiano, os escritores Clarice Lispector, Carlos Drummond Andrade, Luiz Fernando Veríssimo, Rubem Fonseca e Dalton Trevisan.
— Atualmente eu tenho procurado mais a literatura contemporânea, porque é atual .


terça-feira, 15 de julho de 2014

15 de Julho - Dia do Homem


13 de Julho - Dia Mundial do TDAH


quinta-feira, 10 de julho de 2014

A primeira birra a gente nunca esquece!


Particularmente não esqueci a primeira birra que meu filho fez em público. Pode ser porque a situação veio somada a uma experiência de preconceito ou porque precisei enfrentar as pessoas para defender a condição dele pela primeira vez.
Sempre frequentei tudo com o Ângelo. Ele ama sair de casa! Mas nesta ocasião, ele se desorganizou e eu não sabia como proceder...
Depois de muitos dias doente, assim que ele melhorou fomos fazer um passeio em família em um parque aquático. As crianças se divertiram muito, foi especial.
No fim do dia, vendo-os faminto, fomos a um restaurante e talvez pelo cansaço ou sei lá porquê, ele começou a chorar e gritar. Ele tinha 3 anos e não permitia que o sentasse em uma cadeira, não aceitava meu colo, se debatia a todo instante enquanto tentava o alentar.
O restaurante não estava cheio, mas uma mulher chamou a gerente pedindo que nos retirássemos porque o choro estava a incomodando. Imediatamente falei que não iria fazer isto, pois  meu filho tem autismo e iríamos terminar nosso jantar.  A gerente levou a situação para a mulher que reclamava e ouvi em tom alto: " Essa mulher só pode ser louca de trazer esse tipo de criança aqui!!!" Assim que a gerente chegou na nossa mesa, antes que pronunciasse qualquer palavra, lhe falei que isso era  crime de preconceito e um caso de ser chamado a polícia! Falei em tom alto também.
A mulher que reclamava cancelou seu pedido e eu a encarei até sair dizendo-lhe que preconceito é crime!
Quando voltávamos para casa, olhei para o banco de trás e vi minha filha abraçada no irmão enquanto escorria suas lágrimas... Percebi o desafio que se iniciava diante das diferenças, mas que jamais poderíamos recuar diante de uma atitude de preconceito. Naquele momento, jurei a mim mesma que faria tudo que estivesse ao meu alcance para favorecer a inclusão.

Prepare sua tinta em casa!


Como são feitas as bebidas preferidas das Crianças?

O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) fez mais um daqueles experimentos interessantes: agite(-se) antes de beber.
Primeiro perguntaram para algumas crianças o que elas acham que tem nas suas bebidas favoritas. Como elas são feitas?
As reações para essa e mais perguntas já são hilárias por si só, mas depois resolveram chamar os pais para saber o que eles pensam sobre tudo isso.

Entrevista com MUPA


Para quem ainda não leu, nós participamos da entrevista do MUPA!!!
Fiquei muito feliz e honrada pela oportunidade!
A entrevista conta um pouquinho da nossa história e também fala sobre o blog Prática Pedagógica.
Na época era parte, mas hoje não faço mais parte da AMA-Caxias, apesar da entrevistar citar sobre.

Como desenhar um Dinossauro

Esse desenho apresenta passos bem fáceis para desenhar um dinossauro. 

Fonte Aqui!!!

Conheça-me, querido professor

Todo ano preparo uma carta ao professor que receberá o Ângelo. Esta carta tem o propósito de abreviar o tempo que a professora levaria para conhecê-lo e compreendê-lo. Acredito muito que ao conhecer certas particularidades da criança, o professor possa contribuir de forma mais significativa na vida dela.
Graças a Deus, todo ano esta carta muda devido aos avanços e venho compartilhar uma delas...
Querida Professora,
Sei que queres conhecer um pouquinho sobre mim, mas primeiramente relatarei um pouquinho da minha história...
Meu desenvolvimento ocorreu normal, como de qualquer outra criança até um ano e meio (aproximadamente). Foi quando tive uma sequência de febre e me “desconectei” deste mundo.
Digo “desconectei” porque parei de olhar as pessoas nos olhos, responder quando chamavam meu nome, parei de brincar e se interessar pelas outras crianças.
Pode parecer pouco, mas hoje somo muitas vitórias e se estou aqui, é porque acredito imensamente que irás acrescentar na minha vida, na minha história.
Minha mãe não sabia o que eu tinha e passou a estudar a diversidade humana colecionando matérias no blog http://pratica-pedagogica.blogspot.com.br/ , há um pouco da nossa história lá também. Mas é no youtube, no canal que criamos, que postamos vídeos contando um pouquinho da minha trajetória. O canal é: anappacheco1.
O fato é que percebo o mundo de forma diferente e alguns detalhes que passam desapercebidos para a maioria das pessoas, podem me chamar muito a atenção como: texturas, movimentos, sons.... Não se zangue se eu passar a mão em sua roupa para sentir a textura, me distraia com um risco no chão, pare tudo para olhar um movimento de um colega ou chore diante de algum barulho.
O médico disse que determinados ruídos são sentidos 100 vezes mais alto do que para as outras pessoas, por isso, algumas vezes os sons doem. Apresento sensibilidade auditiva.
Apresentei problemas gástricos até os 6 anos de idade, sendo que nesta idade um médico coletou meu sangue e enviou aos EUA para análise, que for fim descobriram que sou alérgico a quase toda alimentação habitual. 
Como qualquer criança posso ter momentos de descontrole emocional, mas pelo fato de não conseguir me fazer compreendido, ou seja, não conseguir expressar o que sinto ou me assusta, fica difícil para mim controlar sentimentos ruins como: dor, ansiedade, medo, frustração. Mas algumas vezes é possível sim!
  • Procure perceber se há algo diferente na escola, principalmente entra e sai de pessoas que não fazem parte da rotina escolar;
  • Procure perceber se há barulhos excessivos ou diferentes, como alguma comemoração ou reforma;

Nesses casos, explica-me o que está acontecendo e permita que me sinta seguro e tudo ficará bem. Embora sinta dor quando há excesso de barulho, ao explicar-me que tipo de barulho é este, o que está acontecendo ou porque as pessoas se agitaram, mesmo tampando meus ouvidos ficarei bem, pois estou conseguindo aprender a conviver com todos tipos de sons.
  • Fico ansioso em aguardar algo. Explica-me de várias formas o que estou esperando e me antecipe o que irá acontecer e eu ficarei bem.
  • Quando não consigo realizar algo tenho tendência a me isolar ou querer muito sair do ambiente.. Tenho certeza, que terás a sensibilidade em perceber minhas capacidades e de que maneira conseguirei avançar.
  • Embora eu apresente bastante destreza em manipular o tablet, tenho dificuldade em segurar o lápis de forma correta e desenhar alguma forma com sentido. Desenhar, ainda é um desafio a superar.
  • Tudo o que eu realizar, você perceberá em meus olhos quando me elogiares o quanto sinto-me orgulhoso de minhas próprias conquistas. Perceberá o valor de cada traço que eu fizer e a importância que dou a um elogio seu.
  • Entendo tudo o que as pessoas falam, percebo que estou entre pessoas que se comunicam e demonstro muito que gostaria de poder falar também. Em cada tentativa que eu fizer, por favor, preste a atenção em mim, dê uma pausa para que eu me encorage a concluir e principalmente me sinta seguro para me arriscar. Por outro lado, não espere perfeição, valorize o que eu verbalizar, pois isto é um desafio que os médicos acreditam que não vencerei, mas estou cercado de pessoas que acreditam muito que posso ir além do que a medicina espera. Aliás, estar aqui entre todos, é algo que disseram que eu não conseguiria devido a minha sensibilidade auditiva.
  • Existem momentos de crises de choros irreversíveis e bem intensos. Nesses momentos apresento questões orgânicas como dor de cabeça, ouvido, garganta... Ofereça-me seu dedo indicador para que lhe mostre aonde está meu mal estar. Sim, saberei conduzir o seu dedo até a minha dor.
  • Posso ficar zangado quando durmo mal e sentir muito cansaço e nesses momentos, além de chorar, me jogo no chão. Não fique zangada, embora hiperativo, meu corpo às vezes cansa e é meu único modo de comunicar.
  • Nunca até hoje apresentei comportamento agressivo. Não sei agredir e nem me defender. Porém, posso me auto-agredir se sentir imensa dor. Quando sinto dor de cabeça ou ouvido por exemplo, posso me bater no local para tentar te mostrar o que me incomoda. Por favor, cuide de mim neste momento para que eu não me fira.
  • Minha única forma de expressão é o som e o corpo. Não consigo regular a entonação da minha tentativa de fala que por vezes pode ser alto. Posso guiá-la pela mão para demonstrar o que desejo ou demonstrar minha felicidade diante das pessoas agitando as mãos ou pulando. 
  • Lembre-se, que só conseguirei demonstrar algo que me desagrada através do choro. Seja frio, calor, fome, ansiedade, insegurança ou medo.
  • Apresento hipossensibilidade tátil. Sinto necessidade de andar passando as mãos pelas paredes e às vezes esbarrando pelas pessoas. Adoro manipular texturas diferentes. Mas quando realizo atividades com tinta, exijo atenção dobrada pois não me limito ao papel.
  • Apresento hipossensibilidade ao movimento e não resisto em derrubar alguma coisa só para ver o movimento de cair. Nesse caso, tenho extrema necessidade em me mexer, não consigo ficar muito tempo sentado. Posso parar qualquer coisa que esteja fazendo só para olhar alguém andar, ou seja, o movimento dos pés. Amo tudo que tiver velocidade!
  • Não consigo parar para assistir televisão. Não assisto nenhum desenho até o final, mas adoro assistir corrida de carro e amo assistir surfistas no mar.

É impressionante todo o amor que me cerca e é neste mundo “especial” que aprendemos a compreender o valor das pequenas coisas, que somos diferentes e únicos neste mundo. Aprendemos a respeitar às diferenças e principalmente, a amar verdadeiramente.
Com carinho,
Ângelo


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Goleiro com Síndrome de Tourette, é exemplo de Superação



A Síndrome de Tourette é uma patologia de comprometimento psicossocial,  caracterizada por provocar movimentos involuntários, tiques, espasmos..
Tim Howard, goleiro dos Estados Unidos, é um grande exemplo de superação!


Assista a matéria aqui!

terça-feira, 1 de julho de 2014

COMISSÃO APROVA INFRAÇÃO GRAVE PARA USO DE VAGA PARA DEFICIENTE

MARAVILHOSO!!!

Acompanhei o drama de uma grande amiga que precisa das vagas em função de ter uma filha com deficiência e é ocupada por pessoas que não enfrentam limitações e ainda a tratam com mal educação!
Segue a matéria...

A Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados aprovou projeto que considera infração de trânsito grave o estacionamento irregular em vagas destinadas a pessoas com deficiência e idosos (PL 4124/98). Os veículos que estacionarem nesses locais estarão sujeitos, além da multa, à remoção ao depósito de automóveis apreendidos.
O projeto, de autoria do ex-deputado Paulo Rocha (PA), já havia sido aprovado pela Câmara, mas sofreu modificações do Senado e teve que retornar para nova apreciação. Entre as modificações realizadas no Senado está uma pena menor para quem estacionar em vagas reservadas a pessoas com deficiência e idosos – a Câmara havia aprovado infração gravíssima. Atualmente, segundo o Código de Trânsito Brasileiro (Lei 9.503/97), a multa é de natureza leve.
As modificações foram acolhidas na Comissão de Viação e Transportes, após a aprovação do parecer do relator, deputado Milton Monti (PR-SP). Ele considerou “acertada a proposta do Senado de rebaixar a classificação inicial de gravíssima para grave, que melhor se adequa à dosimetria prevista no código”.
O secretário do Idoso do Distrito Federal, Ricardo Quirino, elogiou a aprovação do projeto e defendeu o aumento de campanhas educativas. “Sou a favor do projeto. Campanhas devem ser realizadas, mas aqueles que não querem obedecer e se adequar ao que a lei diz, devem ser punidos com o rigor da lei”, afirmou.
Tramitação
O projeto que tramitou por quase seis anos no Senado segue agora para análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania." 


Fórum “A Inclusão do Deficiente na Escola” é instituído em Caxias do Sul

Estou muito feliz pelo caminho que a inclusão está tomando em Caxias do Sul!


O Fórum "A Inclusão do Deficiente na Escola" foi instituído nesta segunda-feira (30/06), durante reunião extraordinária da Comissão de Direitos Humanos, Cidadania e Segurança (CDHCS) do Legislativo caxiense. O grupo terá uma comissão executiva composta por integrantes de diversas entidades, sociedade civil e órgãos públicos. Entre os quais: Câmara Municipal de Caxias do Sul, Secretaria Municipal de Educação, Coordenadoria de Acessibilidade do município, Conselho Municipal dos Direitos da Pessoa com Deficiência (CMDPD), Conselho Municipal de Educação, 4ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), representantes de pais e de cuidadores.
O objetivo é debater, estudar e buscar soluções na área da educação especial, trabalhando e fortalecendo o conceito de inclusão no contexto de Caxias do Sul. Durante a reunião da tarde desta segunda-feira, a Sala das Comissões Vereadora Geni Peteffi recebeu autoridades e diversos familiares de pessoas com deficiência. O encontro, coordenado pela presidente da CDHCS, vereadora Denise Pessôa, foi solicitado pelo CMDPD.
Mãe de uma criança com deficiência, Rosangela Cardoso também pediu mais atenção do município para com as pessoas com deficiência. Ela contou que precisou apelar ao Ministério Público para conseguir fraldas para sua filha. Com filho autista, Ana Paula Pacheco disse que as mães estão dispostas a fazer de tudo para que a inclusão dê certo, não apenas para as crianças estarem na escola, mas, principalmente, para terem mais dignidade e convívio social.